“UMA GUERREIRA QUE NÃO FOGE A LUTA”
Publicado em 29/08/2017

Erundina participa de Congresso Municipal do PSOL

Encontro faz parte do ciclo de debates do PSOL para definir as estratégias do partido

Creditos: Felipe Giubilei / PSOL

Congresso PSOL / Municipal – 26 de agosto de 2017

 

1. Estou no PSOL há pouco mais de um ano. Ainda estou procurando me adaptar e incorporar a cultura partidária.

É verdade que a cultura e a prática partidárias de um partido socialista, devem ser inspiradas no ideário e na experiência histórica do socialismo. Programa partidário esse, que deve ser voltado à defesa dos interesses e direitos dos trabalhadores e dos setores populares, enquanto classe. Portanto, deve haver, profunda sintonia entre nossa proposta política e nossa prática militante com esses segmentos, na perspectiva de um projeto político para o nosso país. Assim, a atual realidade brasileira é crítica, tumultuada, instável e sofrendo forte impacto de um governo golpista, a serviço do mercado e dos interesses das classes dominantes. A crise nacional decorre da crise do processo globalizado, do capitalismo financeiro que desafia o mundo e a si mesmo no esforço de se reciclar e sobreviver. De outro lado, temos as esquerdas desarticuladas e condicionadas pela experiência histórica, marcada pela luta por hegemonia e pelo poder, o que as enfraquece e as distancia da luta concreta do povo.

Esse quadro recomenda que precisamos nos renovar; fortalecer nossa unidade interna e nos reconciliar com os companheiros e companheiras de luta política e de compromisso com a transformação da nossa sociedade e do mundo, com vistas à emancipação das classes populares. Enfim a imediata derrubada do governo ilegítimo do Temer; pela retomada do poder político e a reconquista dos direitos perdidos, e contra o desmonte do Estado brasileiro, com graves riscos para a democracia e o Estado de Direito. Temos que ter consciência, portanto, do enorme desafio e do imperativo de construirmos a unidade entre nós. Para tanto, temos que ser compreensivos e generosos entre nós. Assim, nosso alinhamento com essa chapa que subscrevemos tem por base estas considerações aqui expostas, além de outras tantas que, por limite de tempo, abordaremos em outra oportunidade. Enfim, nosso propósito é contribuir para o fortalecimento da unidade partidária, respeitando nossas diferenças que, ao invés de nos dividir, nos enriquecem.

 Desejo, finalmente, que ao nos cumprimentarmos como companheiros, tenhamos respeito e admiração uns pelos outros e tolerância com nossas diferenças.

- A utopia socialista é que deve nos inspirar na construção de uma sociedade humana, fraterna, portanto, socialista.

- Se não vivermos como socialistas não teremos autoridade para propormos o socialismo aos outros.

É para isso que estou no PSOL!

 

 

Luiza Erundina de Sousa